Nas Entrelinhas do Esporte debate a cobertura jornalística na área

Vida Universitária
Typography

Há mais de uma década, a banda mineira Skank já cantava "É uma Partida de Futebol", em que afirmou com enorme sucesso: “todo mundo um dia já quis ser um Pelé”. Por outro lado, quem já quis se tornar o personagem que entrevista os craques do futebol e todos os outros esportes? Em busca de um mergulho no mundo esportivo, na última segunda-feira, 12, os alunos do 6º período do curso de jornalismo da Universidade Fumec alcançaram um objetivo comum, concluindo as etapas de organização de um evento idealizado e realizado pela turma.

Eles organizaram a palestra “Nas Entrelinhas do Esporte”, para a qual convidaram jornalistas de peso do esporte mineiro. O evento foi comandado pela turma que não perde a oportunidade de adquirir novos conhecimentos.

A conversa "rendeu" na roda composta pelo repórter do Globo Esporte da Rede Globo, Elton Novais, a narradora e estagiária da Rádio Inconfidência, Isabelly Morais, o redator e colunista do Jornal O Tempo, Josias Pereira, o assessor de imprensa esportivo Rodrigo Fuscaldi, a editora do caderno de esportes do Jornal O Tempo e Super Notícias, Soraya Belusi e a diretora esportiva da Rádio Itatiaia, Úrsula Nogueira.

Tudo começou com a mediação das alunas Juliana Corrêa e Vitória Marques. Os convidados foram se apresentando um a um, mesmo que dispensassem tal etiqueta, e quando terminaram, a primeira pergunta respondida foi: "O Jornalismo Esportivo no Brasil tem um enfoque direcionado para o futebol. Por quê?". A editora de "Tempo” e "Super" foi categórica: "A questão dos profissionais dessa área darem muito mais atenção ao futebol me incomoda, mas é compreensível. Esse esporte é o que vende, é o que rende cliques. Eu tento colocar no jornal o que os leitores querem e também outros esportes, assim quem acompanha o diário vai se acostumar a ver mais sobre o basquete, vôlei”.

A partir daí, discutiram sobre cobertura internacional no esporte, os desafios de criar matérias não repetitivas, se um jornalista esportivo pode ou não expor o seu time do coração e deram destaque ao preconceito à mulher nessa área, ainda predominantemente masculina.

Sobre o último assunto, vale destacar a fala de Isabelly: “O preconceito não é intrínseco ao futebol, mas à sociedade. Quando os pais dão a bola para o filho e a boneca para a filha, eles estão dizendo que futebol é coisa de menino”.

O bate-papo conquistou tanto a plateia que, quando teve que terminar, foi acompanhado por suspiros de “quero mais” e muitos aplausos, assim como fazem as torcidas apaixonadas depois de um belo jogo.

 

De frente com os jornalistas

 Rodrigo Fuscaldi (Diretor da empresa de comunicação Sport BOX - Conteúdo Esportivo) / Crédito: Déborah Lopes

 Úrsula Nogueira (Coordenadora de Esportes da Rádio Itatiaia) / Crédito: Déborah Lopes

Soraya Belusi (Editora de Esportes dos jornais O Tempo e Super Notícias) / Crédito: Stéfanie Xavier

 

Josias Pereira (Redator e Colunista do jornal O Tempo) / Crédito: Stéfanie Xavier

 

Elton Novais (Repórter na TV Globo Minas) / Crédito: Stéfanie Xavier

Isabelly Morais (Narradora e repórter da Rádio Inconfidência) / Crédito: Déborah Lopes

 

Uma fala dos organizadores

Receber um “sim” dos convidados, reservar a sala, promover o evento, e entre outras tantas atividades, não foi uma tarefa fácil para os veteranos do 6º período. Durante mais de um mês, eles suaram para que o evento acontecesse e fosse um sucesso. A estudante Letícia Gontijo tem o que falar em nome da turma, depois de muito esforço e dedicação: “Desde que nós começamos a planejar o evento, cada aluno foi responsável por uma área. Alguns foram responsáveis pela produção, outros por gerenciar as redes sociais criadas para divulgar o evento, e os demais foram atrás dos convidados, patrocínios, ficaram para ajudar no dia da palestra: recebendo os convidados, mediando a conversa. O interessante é que o projeto foi independente, ele foi feito pelos alunos, nós tivemos o apoio da Fumec, mas foi totalmente feito para e por alunos. Essa experiência foi muito proveitosa porque nós queríamos que os convidados debatessem sobre os assuntos que nos interessavam e foi o que aconteceu”.

Phillipe Fraga também fez parte dessa construção que superou expectativas: “A experiência que eu tive com a organização do evento “Nas Entrelinhas do Esporte” foi fantástica para mim, assim como para os meus colegas de sala. Eu fui o responsável por convidar os jornalistas para a palestra e, com isso, aprendi muito porque você precisa ser gentil, falar as coisas certas para que a pessoa queira fazer parte do projeto”, destaca Phillipe.

 

 

Inscreva-se através do nosso serviço gratuito de subscrição de e-mail para receber notificações quando novas informações estiverem disponíveis.