A exposição social à pornografia é crescente. Tanto na população brasileira, quanto nos outros países, o vício e as consequentes mudanças comportamentais causadas pelo consumo pornográfico têm causado problemas sociais nas esferas pública e privada.

A imagem de uma criança vítima de uma explosão na cidade de Aleppo retrata bem a situação de caos que o país tem enfrentado desde 2007. Ao passar as mãos em sua cabeça e ver o sangue verter, ela não chora. Simplesmente para e olha. Coberta de terra de escombros e sentada no corredor de um hospital, não tem parentes ou família a acompanhando. Tanta tristeza e desolação tem um sentido visível?

O Brasil vivenciou no início do mês de janeiro uma das maiores crises em seu sistema prisional. Um show de horrores altamente divulgado pela imprensa, com direito a degolas e a esquartejamento de presos, revelando a barbárie explícita entre as facções criminosas que comandam o tráfico de drogas de dentro das prisões. Embora a prática de cortar cabeças e de trucidar corpos venha das periferias, ela só chama a atenção das autoridades do Brasil a partir do massacre da Penitenciária de Pedrinhas, no estado do Maranhão em 2013.

Geração Millenium ou Y é o nome que classifica aqueles que nasceram após os anos 80 e meados dos 90, os primeiros a viverem em um mundo globalizado e permeado pelos estímulos da Internet. São também os pioneiros nas redes sociais.