Capitã Marvel desperdiça oportunidades

Blog
Typography

Apesar de alguns problemas, Capitã Marvel é sim um bom filme, é divertido e introduz bem a heroína que deve ser bastante importante daqui pra frente nos cinemas, mas possui suas falhas.

No dia 7 de março de 2019, estreava nos cinemas brasileiros o filme protagonizado pela heroína de mesmo nome, primeiro filme do Universo Cinematográfico Marvel que tem no papel principal uma mulher e um dos mais aguardados pós Vingadores: Guerra Infinita.

O filme entretém, mas não atende as expectativas que foram criadas em torno dele. O longa passa longe de ser ruim, mas é apenas uma estória de introdução e nada muito além disso. Os personagens não possuem muita profundidade, Carol Danvers, a Capitã Marvel, Nick Fury e o Skrull Talos são os personagens com maior desenvolvimento na trama e mesmo assim nada muito profundo.

Outro ponto em que o filme peca de certo modo é que não foca tanto quanto poderia em questões de empoderamento feminino, a Capitã Marvel é, segundo Kevin Feige, presidente da Marvel Studios, a personagem mais poderosa de todo o Universo Cinematográfico Marvel é um prato cheio para tratar sobre questões relacionadas ao sexismo, certo?

O filme não ignora totalmente essa questão, mas não faz desse tema o foco principal, até mostra Carol sofrendo com machismo, sendo considerada mais fraca ou incapaz, mas não passa muito disso, não foca muito em como ela superou, passa longe, por exemplo, do que foi feito em Pantera Negra em relação aos negros, que enfoca mais os negros, do que Capitã Marvel, as mulheres. Essa falta de foco não compromete a qualidade do filme, porém, é uma grande oportunidade desperdiçada, como quando o passado da viúva negra foi levemente mencionado no primeiro filme dos vingadores, tão breve que não houve tempo de formar uma conexão profunda com a personagem.

A partir daqui serão necessários alguns "spoilers" sobre o filme para falar sobre outros pontos. Primeiro, é importante ter em mente que o filme não é uma adaptação das HQs, nem mesmo uma releitura, mas faz parte do "Multiverso Marvel". Marvel tem vários universos, por exemplo, a Terra-616 (universo principal dos quadrinhos), a Terra-1610 (universo Ultimate) e a Terra-19999 (Universo Cinematográfico Marvel).

Contudo, mesmo não se tratando de uma adaptação da história original, algumas coisas podem causar certa estranheza a quem conhece um pouco as histórias da editora em HQs ou animações, mesmo a quem não é um leitor ávido. O Filme apresenta a Guerra Kree-Skrull, famosa nas HQs, o problema é que os Skrulls no filme são os bonzinhos, ou pelo menos não querem a guerra, desejam apenas fugir e viver em paz em algum lugar, o que destoa demais do que acontece na história das HQs, desenhos e qualquer outra mídia em que eles foram retratados. Os Skrulls sempre foram representados como vilões bárbaros que invadem e conquistam planetas e causa certa estranheza vê-los como vítimas, apesar do filme acertar em mostrar que os Kree também não são boa gente. Mas é bom relembrar, isso não é um erro ou defeito, o filme não é uma adaptação, nem releitura, é um universo completamente diferente, mas mesmo assim é estranho ver como vítima alguém que sempre foi o vilão e, claro, isso só vai incomodar quem se preocupa mais com as HQs e animações.