Candidatos à prefeitura de BH participam de debate na Fumec

Política
Typography

Os candidatos à prefeitura de Belo Horizonte participaram conjuntamente de um debate, promovido pelo Diretório Acadêmico de Direito Gerson Boson (DADGB), na Universidade FUMEC, nesta quarta-feira (14). Lotados no auditório da Faculdade de Ciências Humanas Sociais e da Saúde (FCH) estavam alunos de diversos cursos da instituição, bem como professores, assessores, militância e público externo. 

 

Estavam  presentes os candidatos: Maria da Consolação do PSOL, Délio Malheiros do PSD, Rodrigo Pacheco do PMDB, Luis Tibé do PT do B, Sargento Rodrigues do PMDB, Eros Biondini do PROS e Marcelo Álvaro Antônio do PR. 

O candidato João Leite (PSDB) não compareceu sendo representado no debate pelo seu vice Ronaldo Gontijo do PPS, assim como o candidato Alexandre Kalil (PHS) enviou seu vice Paulo Lamac do Rede Sustentabilidade. 

 

O debate foi dividido em quatro etapas. A primeira delas contava com dois minutos de apresentação para cada candidato.Em seguida, os mesmos responderam a perguntas feitas pela comissão organizadora do evento. Depois foram respondidas perguntas feitas pelo público presente e logo após foram dados mais dois minutos para as considerações finais. 

 

Os ânimos ficaram exaltados no momento das perguntas da plateia. O candidato mais criticado durante o debate foi o ausente Alexandre Kalil. Ao ser questionado sobre um áudio no qual o mesmo afirma, se preciso, roubar para favorecer o Atlético Mineiro, time em que foi presidente, seu vice Paulo Lamac utilizou da defesa de que esse documento é uma “montagem maldosa de pessoas que passam seu tempo na internet construindo conspirações criminosas como se essa fosse a nossa verdade.“. Além das críticas da plateia, Kalil foi criticado por Délio Malheiros do PSD, vice do atual prefeito Márcio Lacerda e por Marcelo Álvaro Antônio do PR. 

 

Os carros de som da campanha de Luís Tibé do PT do B, também foram vaiados. Tibé se defendeu da seguinte forma: “Temos muito pouco tempo para divulgar nossas campanhas na televisão, por isso os carros de som se fazem necessários”. Representando João Leite, o candidato a vice Ronaldo Gontijo foi muito julgado quando negou responder a opinião de João Leite perante os direitos dos LGBTS.  Ronaldo negou responder a pergunta alegando esta ser de opinião pessoal, sendo esta não adequada uma vez que ele e o candidato João, possivelmente, haveria divergências de opinião. Apesar disso, Gontijo estava ali representando o possível futuro prefeito, bem como sendo ele seu vice, o que não justifica a ausência de resposta. 

 

Eros foi criticado por parte do auditório quando perguntado sobre sua posição sobre aborto perante o estupro: "Uma pessoa, ainda no ventre, já é um ser humano, nunca escondi meus valores e que sou contra o aborto".

Sargento Rodrigues foi questionado sobre seus planos de aumentar o armamento e Maria da Consolação criticada por defender greves e alegar que quer uma radicalização da democracia.  

 

Houve muitas reações e vaias vindas da plateia, inclusive por parte dos militantes e vereadores trazidos pelos candidatos, o que gerou um retorno polêmico.  

 

 

 

 

Inscreva-se através do nosso serviço gratuito de subscrição de e-mail para receber notificações quando novas informações estiverem disponíveis.